Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O "no comment" também é uma mensagem

por Alda Telles, em 21.11.10

 



 


 


 


Já aqui tinha referido o texto de Fernanda Câncio, a propósito de outra revelação de conversas privadas. Uma das reacções relatadas pelo Diário de Notícias que também muito me incomodou foi a de Ana Gomes. A resposta com uma gargalhada parece, numa primeira leitura, uma reacção normal, humana, até funciona cono uma desvalorização do miserável deboche jornalístico-coscuvilheiro. Numa segunda leitura, pareceu-me preocupante não ter condenado a publicação de conversas privadas. Numa terceira leitura, depois de ler Ana Gomes a justificar a dita gargalhada, um enorme nó na garganta. A devassa alheia só é condenável quando não nos atinge o ego ou quando não nos ajuda a vingar ódios pessoais.


Ana Gomes não responde à única questão que interessa: qual é a sua opinião quanto ao princípio da publicação de escutas privadas e irrelevantes para um processo judicial, devida ou indevidamente obtidas no âmbito de uma investigação?


Ana Gomes é uma política profissional, pelo menos só lhe conheço essa carreira. Qualquer político profissional, de matriz democrática e defensor de um estado de direito, só tinha uma resposta possível ao DN: "Não espera certamente de mim que vá comentar uma conversa ilegalmente publicada?". Só, só isto. É esta a mensagem que esperamos dos nossos representantes, caro Valupi.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D