Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O "Inside Job Effect"

por Alda Telles, em 12.01.11


 


O tema está quente nos Estados Unidos, onde cerca de 300 economistas subscreveram uma petição à American Economic Association para a adopção de um Código de Ética que, entre outras coisas, obrigaria os seus membros a divulgarem potenciais conflitos de interesse. Este movimento tem muito de "Inside Job Effect" e surgiu com o debate o ano passado entre economistas sobre a revisão da regulamentação de Wall Street, em que estes se recusaram a revelar voluntariamente os seus interesses como administradores de empresas, advisers ou consultores enquanto faziam comentários nos media.


Os casos mais polémicos são aqueles que envolvem académicos que, simultaneamente, defendem a desregulamentação e trabalham para empresas de serviços financeiros. Nos Estados Unidos, os casos são muitos, como aquele professor de Stanford, Darrell Duffie, que escreveu um livro defendendo a desregulamentação e se esqueceu de mencionar que tem assento no conselho de administração da Moody's.


A verdade é que sempre houve resistência a qualquer código de conduta para os cientistas da economia. Sendo uma ciência social, conseguiu ir ganhando o estatuto da "ciência social mais exacta", e fazendo de cada afirmação não uma opinião, mas uma verdade absoluta. Com o domínio do neoliberalismo, vingam na opinião económica os conceitos do interesse individual e dos mercados livres e racionais. Vinga um sistema e uma organização mundial que estão a deixar as economias e as sociedades à mercê de um carrossel de "especulação sincronizada", na expressão do jornalista e analista Jorge Nascimento Rodrigues.


Outra questão, aparentemente menos discutida nos Estados Unidos, mas que muito se vê por cá, é a análise supostamente "científica" e isenta de economistas académicos que são conselheiros, em regra informais, de partidos ou dirigentes políticos. Pela parte que me toca, gosto de ouvir opinião com declaração de interesses. Quando eles não são do conhecimento público, evidentemente.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D