Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ao marido da Srª Borges não basta parecê-lo

por Alda Telles, em 17.03.12

Tenho por princípio não pôr em causa a honestidade e seriedade de ninguém, salvo por provas irrefutáveis. Seguindo este princípio, não questiono nem um segundo a seriedade do Dr. António Borges. Menos ainda a da empresa Jerónimo Martins, que nada tem a ver com isto.


 


Mas não me parece, quando estão em causa as últimas grandes transferências do estado português, que o responsável pelo processo das últimas privatizações do país possa considerar defender ou dedicar-se a qualquer outra coisa que não a causa pública.


 


Ainda menos me parece que o primeiro-ministro responsável pelas últimas grandes opções do estado português não exija essa dedicação a quem nomeia para esta missão. 


 


O modelo liberal deste governo fica ferido de morte nas suas duas premissas essenciais: a regulação e a arbitragem. 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D